Supermercados reduzem milhas de produção com agricultura vertical e abastecimento local

Alain Winandy - Ciência do Varejo, treinamentos de gestão & consultoria.

Direitos reservados.


Muito tem se falado da importância da última milha na distribuição, mas, para vários supermercadistas americanos, o termo também está sendo utilizado para aproximar a produção de hortifruti dos grandes centros e assim, diminuir a pegada de carbono.

Tanto lá como por aqui, a pandemia colocou o valor entre as prioridades dos consumidores brasileiros, e, de acordo com recente pesquisa da McKinsey, e, a qualidade, produtos orgânicos e propósito tem de 16 até 30% de consumidores que os utilizam com direcionadores para a escolha de produtos ou lojas.

O conceito de agricultura vertical, cultivando produtos (verticalmente) próximo da sua distribuição (como, por exemplo, em uma loja ou CD), traz diversas vantagens neste sentido: reduz custo de distribuição, a utilização de grandes áreas de terra, o uso de produtos químicos, o uso de água, a perda ou desperdício, e, aumenta a qualidade do produto, o frescor, a quantidade de orgânicos e garantia de abastecimento, aumentando portanto o valor para os clientes.

Lá, grandes redes como Albertson, Kruger, Publix , Safeway, por exemplo, estão investindo cada vez mais no conceito, diretamente ou através de parcerias, um bom modelo para que os supermercados por aqui também avancem mais em direção da criação de valor para seus consumidores e para a nossa sociedade em geral.

Assista o vídeo para visualizar agricultura vertical:

Alain Winandy - Ciência do Varejo, treinamentos de gestão & consultoria.

Alain Winandy - www.cienciado varejo.com.br

Direitos reservados

Fontes: vídeo Boweryfarming, matéria Supermarket News.


Últimos posts