Duas tendências que os supermercados deveriam explorar em 2021

Ciência do Varejo - Treinamentos de gestão & consultoria

Com o contexto da covid o consumidor foi obrigado a sair menos e consumir mais alimentos em casa. No início, fazer novas descobertas culinárias era uma experiência para quem estava confinado, mas, aos poucos, uma outra tendência se sobrepõe: a praticidade.


Isto significa que os supermercados precisam se adaptar rapidamente para trabalhar com excelência em dois pontos: alimentos processados que reduzem o tempo de elaboração dos pratos e refeições completas para delivery, estilo restaurantes e outros especialistas alimentares.


No primeiro, alimentos processados, oferecer aos clientes uma gama de produtos que facilitem a elaboração de pratos diferentes diminuindo o tempo de preparo. Com isto, inspirar ou incentivar o consumidor a experimentar novas receitas, navegando então na onda destas duas tendências que, ao que tudo indica, vai continuar crescendo em 2021.


Podemos dar vários exemplos neste sentido, em praticamente todos os setores de perecíveis. No açougue, muitas possibilidades, como por exemplo, oferecer medalhão de filet mignon com bacon, para citar uma delas. Na peixaria, vemos fornecedores atuando cada vez mais nesta linha, oferecendo, por exemplo, kit paella ou anéis de lula. Dá para pensar em muito mais coisas, como, por exemplo, um kit para fazer um arroz de polvo caseiro, para citar uma também. Na padaria, que tal um kit para fazer pão com linguiça em casa? Enfim, são muitas possibilidades para ir de encontro a estas tendências e aumentar as margens e valor agregado, fugindo das commodities.


No segundo, refeições completas para delivery, além de novamente seguir as tendências, aproveitar esta expertise de compra de insumos alimentares e oferecer uma gama de pratos ou opções para o dia a dia do consumidor, além das refeições sazonais ou festivas/comemorativas. Neste caso, não estou falando da elaboração em loja apenas, mas, em seu site, um espaço para delivery de refeições prontas elaboradas em uma (ou mais) cozinha industrial centralizada. Produtos saudáveis e de qualidade, embalagens de qualidade, logística adequada. Novamente, muitas possibilidades alinhadas com as tendências e produtos de margem e valor agregado.


Sem contar a imagem e a proximidade ou ligação mais constante ainda no dia a dia dos consumidores.


Se ainda não se planejou neste sentido, acelere: Já tem gente trabalhando nisto e assim, conquistando e fidelizando ainda mais os consumidores.

Alain Winandy - Treinamentos de gestão & consultoria supermercados

Alain Winandy - Direitos reservados - www.cienciadovarejo.com.br

Últimos posts

Receba nossas novidades em primeira mão

Copyright © 2015 CIÊNCIA DO VAREJO  |  Diretos reservados