Covid-19: Covid-19: guia de boas práticas sanitárias nas lojas e empresas

 

A FDC- Federação do comércio e distribuição da França publicou em seu site em 20.03.2020, protocolos/padrões operacionais que podem auxiliar na elaboração do guia de práticas sanitárias para sua empresa.

 

Discuti-los, adaptá-los e coloca-los em prática se faz necessário não só para as empresas que já estão com suas lojas abertas, seus escritórios ou fábricas funcionando, mas também para aquelas que irão reabrir após a quarentena.

 

Esses cuidados com colaboradores, consumidores, prestadores de serviço, fornecedores, enfim, todos na esfera de abrangência da empresa vão ser necessários na retomada, pois, o que estamos passando não é como uma tempestade que logo a seguir tudo volta ao normal, por isso, as empresas que vão reabrir daqui a pouco, tem mais este desafio de se preparar implantando estes protocolos.

 

Para os pequenos e médios também, nem movimentos de reforço aos pequenos ou locais poderá sobreviver se os consumidores não sentirem segurança, não sentirem confiança em medidas para sua proteção ou de seus colaboradores.

 

Seguem as medidas publicadas no site da FDC, em seu guia de boas práticas sanitárias:

 

Higiene de mão – operadoras de caixa:

  • Antes de iniciar: lavagem rigorosa das mãos

  • Luvas descartáveis trocadas a cada 30 minutos, e/ou

  • Disponibilização de álcool gel para higienização das mãos a cada 30 minutos, e/ou

  • Lavagem das mãos a cada 30 minutos.

Medidas específicas no local para operadoras de caixas

  • Colocação de barreiras físicas, como anteparo de acrílico nos caixas e locais de atendimento aos clientes

  • A cada passagem de cliente, limpara/desinfetar a esteira (com álcool gel, por exemplo), das teclas/maquinas leitoras de cartão de crédito, e das barreiras físicas.

Lavagem das mãos:

  • Enxague-as bem

  • Utilize sabão

  • Esfregue por 30 segundos

  • Limpe a zona entre os dedos

  • Limpe as unhas

  • Enxague-as bem

Sanitários clientes

  • Limpos e desinfetados no mínimo duas vezes ao dia.

  • Placas de comunicação, sinalização e orientações para os clientes

Limpeza de carrinhos e cestos

  • Limpar/desinfetar a cada utilização, informar isso aos clientes.

  • Aconselhar os clientes, na medida do possível, utilizar suas próprias sacolas para as compras.

  • Orientar clientes a limpar a alça dos cestos ou dos carrinhos com álcool gel e/ou papel toalha colocado à disposição.

Alças, equipamentos e móveis de vendas

  • Limpos e desinfetados no mínimo duas vezes ao dia.

Drive trhu

  • Solicitar o próprio cliente a abrir o porta-malas

  • Solicitar ao cliente utilizar sua própria caneta para assinar recebimento

Prestadores de serviço

  • Limitados ao máximo

Recepção, comercial, fornecedores

  • Placa solicitando respeitar as barreiras físicas, não haver aperto de mão, respeitar a distância mínima de 1 m.

Ações no dia a dia

  • Lavar as mãos logo após o uso de equipamento coletivo (ex: copiadora, impressora, maquina de café...)

  • Mesma orientação de lavagem das mãos.

Desinfetações de locais

  • Lave e desinfete no mínimo uma vez por dia equipamentos de uso coletivo.

  • Limpe e desinfete no mínimo duas vezes ao dia móveis, sanitários, maçanetas, elevadores, corrimões, etc.

  • Limpe e desinfete o que for de uso dos clientes regularmente muitas vezes.

Filas (Caixa, atendimento)

  • Solicitar clientes a manter um metro de distância uns dos outros (sinalizar)

 

Estas são recomendações gerais da FDC – França, e, cada empresa então deve adaptar e completar as medidas que em sua visão são necessárias, mais eficientes a implantar e comunicar.

 

Por exemplo, há empresas que medem a temperatura de seus funcionários diariamente, e que podem chegar a medir inclusive a dos clientes. Outras medidas não são aqui faladas, como, por exemplo, o uso de máscaras de proteção (e/ou óculos transparentes) pelos funcionários, como forma de proteção a eles a aos clientes. O importante é que sejam tomadas as ações necessárias e possíveis, para resguardar os funcionários, clientes, prestadores e a imagem da empresa.

 

Importante, além de seguir os protocolos, é informá-los aos clientes, colaboradores, prestadores de serviço, com muita intensidade (varejo é serviço, serviço é confiança), para transmitir confiança e responsabilidade aos seus stakeholders.

 

Medidas neste sentido, além destas vantagens de proteção e não proliferação contribuem inclusive para uma possível retomada econômica, desde que, também vejamos, medidas similares em outros setores, como, por exemplo, no transporte público.

 

ALAIN WINANDY -Ciência do Varejo-Agora com opções de treinamento online

 www.cienciadovarejo.com.br - visite nosso site

Fonte: http://www.fcd.fr/qui-sommes-nous/actualites-de-la-fcd/detail/covid-19-un-guide-de-la-grande-distribution-ete-realisee-sur-les-bonnes-pratiques-mettre-en-oeuvre-e/

Please reload

Últimos posts
Please reload

Treinamentos de Gestão no Varejo

com os melhores profissionais do mercado

(11) 3814.1362   -   São Paulo / SP

cienciadovarejo@cienciadovarejo.com.br

Copyright © 2015 CIÊNCIA DO VAREJO  |  Diretos reservados