Treinamentos de Gestão no Varejo

com os melhores profissionais do mercado

(11) 3814.1362   -   São Paulo / SP

cienciadovarejo@cienciadovarejo.com.br

Copyright © 2015 CIÊNCIA DO VAREJO  |  Diretos reservados

Please reload

Últimos posts

Como será o supermercado em 2020 e o que devemos mudar. Rapidamente.

 

Lendo a data, que vai ser no ano de 2020, parece longe, mas, já é o ano que vem... Compras online, mudança radical no cenário concorrencial, são fatores que indicam que os supermercados devem se reinventar. E, rapidamente.


As compras de mercearia, perfumaria, limpeza e bazar devem ser cada vez mais efetuadas online, mudando o ritual (de compras), daquele com carrinho cheio e pesado, feitas no final de semana principalmente (hoje, em grande parte se não na maioria dos supermercados convencionais, ainda os melhores dias de vendas – 1º sábado, 2º domingo).


Ao invés de comprar ingredientes, a tendência é a de comprar refeições já prontas, para consumir no local ou em casa. Já estamos percebendo isso nos grandes centros daqui, com a proliferação de lojas de proximidade.


O novo cenário é de ainda mais concorrência, com o aumento dela, da participação de vendas online, também de entrantes e grandes players como Amazon, levando a uma competição de preços e negociações serem ainda mais acirradas. Para combater isso, produtos com preços baseados em valor, como as refeições, os produtos transformados (como carnes, embutidos, hortifrútis pré-cortados, fracionados, hortaliças e saladas pré-lavadas), produtos especiais (como frescos, saudáveis, orgânicos), produtos de marca própria, produtos de fornecedores locais, além de cada vez mais serviços (próprios e terceirizados, como lavanderias, revelação de fotos, academia, área Pet, etc.), coleta de produtos (Omnichannel) e maior experiência de loja.


O número de referências de produtos industrializados ou revendidos deve cair bastante, já que a oferta online pode ser ilimitada, o que representa numero menor de corredores e gôndolas, até de famílias de produtos.


Isso sem contar no papel da tecnologia, da mobilidade, facilitando as compras, as informações de produtos, e o pagamento (sem caixas, por self checkout ou pelo celular).


Estamos falando de EUA e Europa (2020), mas, por aqui (neste mundo globalizado), grandes redes já estão se preparando e rapidamente se ajustando a esta nova realidade, tanto que já podemos verificar lojas e serviços neste sentido já implantados em várias lojas.


Há pouco tempo, cada vez que se falava em futuro e tecnologia, muitos supermercadistas daqui achavam se tratar de exercícios de futurologia, distante de sua realidade. Quem continua pensando assim, bom ficar esperto: a velocidade das mudanças hoje está muito rápida, e vão logo bater à nossa porta, e, de novo, hora de sair do seu quadrado, quebrar paradigmas e já ir procedendo às mudanças.


Veja a seguir o filme sobre estas mudanças, que já tem uma ano (tudo isso...), mas é bom relembrar o que vem sendo falado e alertado durante todo este ano:

 

 

 ALAIN WINANDY - www.cienciadovarejo.com.br.

Consultoria & Treinamentos de Gestão Supermercadista

 


 

Please reload